Total de visualizações de página

Seguidores

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Artigo polêmico de um decano do jornalismo


Lula criticando em massa a campanha de Dilma, seus coordenadores, a própria candidata que inventou e rebocou até aqui. Retumbando no Planalto-Alvorada: “Derrotei todos os meus adversários, agora tenho que salvar incompetentes”. Possível vitória de Serra, assimilável por Lula?

Helio Fernandes
Antes do episódio da bolinha de papel que saiu de sua cabeça, e “bateu” na cabeça do Serra, o presidente só tinha um assunto, que ruminava todos os dias: “Derrotei todos os adversários, limpei o Senado para a Dilma não ter problemas”.
E citava principalmente os três senadores (alguns deles) contra os quais se jogou ardorosamente. São ou eram, Artur Virgilio, Jereissati, Mão Branca. E se “orgulhava” de ter contribuído para levar ao Senado “parlamentares fiéis, que ajudarão Dilma a governar”.
Esqueceu das muitas derrotas, até mesmo no Senado. No Rio Grande do Norte, fez tudo para derrotar Agripino Maia, não se lembrou. Mas coloca na sua conta a reeleição de Renan Calheiros, “grande amigo, que estará sempre na minha relação, será o que quiser no meu governo, perdão, da Dilma”.
Lula fala, completa: “Renan já foi Ministro da Justiça, pode voltar”. Como não conversa com ninguém, (tem o mesmo prazer de FHC, falar em frente ao espelho) não sabe que Renan quer muito mais do que isso. Lógico, além dos apadrinhados, principalmente na importantíssima Transpetro, potência no esquema Petrobras.
No Amazonas, Lula não queria apenas derrotar Virgilio. Outro item importante era fazer governador, seu ex-ministro duas vezes, Alfredo Nascimento. Com isso, teria mais um governador e, na sua vaga no Senado, seria efetivado por 4 anos, o amigo João Pedro. O ex-governador Eduardo Braga ganhou tudo, fez o governador, Lula brigou com ele, chamou-o de INGRATO.
Só que agora o GRANDE ADVERSÁRIO se chama Aécio Neves, que considerava, fora do PT, um dos maiores amigos. (Lula está crente que no PT, todos são seus amigos). E que vai ganhar de Aécio em Minas, cita até a vantagem eleitoral: “Dilma terá 1 milhão e 300 mil votos a mais do que Serra”.
Tudo isso não pode ser rotulado como ódio, é, digamos, ressentimento por não ter conseguido o terceiro mandato. Decepção por ter que deixar o governo, e se igualar a FHC. “Sofre” quando falam, “Lula é igualzinho a FHC na entrega do patrimônio brasileiro”. FHC DOOU, Lula ratificou a DOAÇÃO. Disso não se livra, a palavra certa é, se envergonha.
Lula não teria mais a tranquilidade de antes, tem receio, a palavra é MEDO, estou amenizando. Considera, pelo que vem ouvindo, que há muita gente que ficou 8 anos sendo humilhada, preterida e esquecida, e agora só pensa em vingança, vá lá, em RECUPERAÇÃO.
Pelo quem me dizem, com segurança, Lula não tem a menor preocupação com o domingo, dia 31 de outubro. O que o assusta é o dia seguinte, (perdão, 48 horas depois) 2 de novembro, Dia dos MORTOS.
E se a candidata-poste inventada contra o próprio PT, resolver relacioná-lo com saudade nesse dia triste e melancólico? Isso atormenta Lula, já deixou bem claro que não suportaria o silêncio do triplex de São Bernardo? Nem vou dar exemplos de personagens que assumiram por causa dos padrinhos e se livraram logo deles?
***
PS – Lula não tem nenhuma segurança a respeito da vitória da sua candidata. Mas todas as dúvidas em relação à sua participação nesse governo. Pode parecer assombroso e inexplicável, o comportamento de Lula no episódio da bolinha de papel.
PS2 – Lula tem atacado duramente Dilma e todo o PT no caso da bolinha. E diz, sem fugir um milímetro da arrogância de sempre: “Eu salvei vocês do desastre, atraí todos os ataques para cima de mim, deixei vocês inteiramente afastados de tudo”.
PS3 – Mas do próprio reduto de Lula, surgem críticas duras a ele, e aCONSTATAÇÃO, que nem seria surpreendente, duvidosa, estapafúrdia ou acintosa.
PS4 – Lula não choraria uma lágrima pela DERROTA de DILMA, e a conseqüenteVITÓRIA de Serra. Nada que não possa ser explicado facilmente.
PS5 – Entre o governo Dilma sem a sua PARTICIPAÇÃO, e um possível ou suposto (com a sua manifestação velada, mas aceita) governo Serra, considera que para o seu futuro, (de Lula) a eleição de Serra de maneira alguma um desastre.
PS6 – Com a vitória de Dilma, pensando (?) bem, quais os que poderia considerar ou chamar de AMIGOS? Pode ser hipótese, decisão que não parece atrapalhar a cabeça de Lula. Falta só uma semana.

Nenhum comentário: